quarta-feira, 2 de junho de 2010

Prescrição por Denominação Internacional Comum

Já não é de agora que a prescrição por denominação internacional comum (DCI) está nas temáticas de amplas discussões médico-farmacêuticas.
A meu ver, este tipo de prescrição, praticado em meio hospitalar sem qualquer polémica por parte da classe médica visto que a aquisição de medicamentos é centralizada, encerra em si uma ligeira alteração. Qual? O fim da corrupção!! Upps, escrevi corrupção?!! É melhor não especificar nem me alongar mais porque para todos nós farmacêuticos sabemos do que é que eu estou a falar.....
-
O perfil de segurança para o utente, tudo inalterado.
-
A compreensão por parte do farmacêutico dos hieróglifos, tudo inalterado.
-
Despesa do estado, tudo inalterado. (ou com alguma poupança por via da simplificação da substituição (para os médicos entenda-se "troca") de medicamentos de marca por genéricos)
-
Para a indústria farmacêutica, tudo alterado. Mais concorrência, provavelmente redução de preços ou melhoria das condições financeiras.
-
Para a farmácia, tudo ligeiramente alterado. Melhores condições comerciais, melhor gestão de stocks, economia de espaço, maior rentabilidade. Ligeiramente? Sim, porque a maior parte das farmácias funciona quase como se a prescrição por DCI estivesse em vigor.
-
Para os médicos, tudo inalterado? A meu ver sim. Será? Acho que sim. A menos que o INFARMED não seja um entidade competente e dê Autorização de Introdução no Mercado a medicamentos falsos, contrafeitos. Qual será a diferença entre uma sinvastatina Labesfal e uma sinvastatina Generis?
-
Para a corrupção, tudo alterado. O FIM. Como? Nós sabemos...

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Margem de Comercialização

O decreto de lei n.º 48-A/2010 veio, entre outras alterações, repor a margem de comercialização dos medicamentos nos valores praticados em 2005, ou seja, 8% para os grossistas e 20% para as farmácias.

À primeira vista, e a muito frio, parece-nos muito lógico e correcto visto que nos últimos anos tem-se verificado que, para além das margens terem diminuído, os preços dos medicamentos têm descido. No entanto, nem tudo é positivo e fica o desafio para que comente esta temática muito em voga por estes dias...

http://dre.pt/pdf1sdip/2010/05/09301/0000200015.pdf

Farmácia em Portugal

O blog Farmácia em Portugal surge hoje, 17 de Maio, para colmatar uma brecha de informação e opinião sobre o sector Farmácia em Portugal.
Agradeço a todos a vossa participação e colaboração futuras para que possamos criar um espaço de informação, debate, denúncia e partilha de experiências laborais do quotidiano farmacêutico.
Com votos de sucesso ao blog me despeço neste primeiro dia do FARMÁCIA EM PORTUGAL!!!